Abrir uma garrafa de vinho para curtir com os amigos, família ou acompanhado de uma boa refeição é uma das melhores formas de tornar este momento ainda mais marcante. Porém, às vezes o vinho acaba sobrando, então você se pergunta: o que fazer com o vinho aberto restante? Marco Antonio Carbonari, dono da vinícola Villa Santa Maria, explica para a gente maneiras eficientes para tentar conservar todas as características da bebida.

Uma vez em contato com o oxigênio, ocorre um processo de oxidação, no qual a bebida começa a perder suas melhores características. Portanto, em termos de preservação, o oxigênio é o verdadeiro vilão, pois afeta principalmente o aroma e o sabor do vinho. Por isso, a principal recomendação é não deixar que isso aconteça, já que para alguns o processo de deterioração, mesmo em vinhos de alta qualidade, começam assim que os vinhos são abertos. Então:

  • Use a mesma rolha para fechar a garrafa: Uma forma prática e imediata de prolongar a vida útil do vinho é colocar a rolha de volta na garrafa. Claro, este é o método menos eficiente a longo prazo, mas é suficiente para pessoas que querem deixar o resto da bebida para mais tarde ou no dia seguinte. Se for espumante, dura de 1 a 2 dias na geladeira, assim como o vinho branco, os rosés e os tintos conseguem chegar até 3 a 4 dias. Marco Antonio Carbonari comenta que é um “quebra-galho” para consumidores menos exigentes.
  • Use garrafas pequenas para armazenar o restante da bebida: Outra ideia boa e econômica para conservar o vinho após a abertura da garrafa é transferir o conteúdo da garrafa menor. À medida que o recipiente fica menor, o contato do vinho transferido com o oxigênio diminui depois que a garrafa é fechada com uma tampa de rosca. Esse método pode manter a bebida por até três dias, com poucas alterações no sabor e no aroma.
  • Use produtos próprios para conservar vinho: Quem procura alternativas mais refinadas para conservar o vinho pode gostar desta opção. Antes que o vinho seja fechado, sprays podem ser usados ​​para minimizar o contato entre o vinho e o oxigênio. Este gás é composto por químicos que ocupam o espaço do oxigênio na garrafa, o que evita a oxidação do vinho e permite que o vinho dure até um mês na geladeira. Marco Antonio Carbonari explica que o maior problema é o custo do spray. Para pessoas que precisam abrir o frasco com frequência, o custo da conservação pode ser relativamente alto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui