Em meio a novos fechamentos, shoppings têm queda de 36,3% nas vendas no ano

SÃO PAULO – Com a piora da pandemia no Brasil impondo novas medidas de isolamento social, as vendas em shopping centers, que estavam buscando uma retomada após o baque de 2020, voltaram a piorar com os novos fechamentos este ano.

De acordo com a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), no ano até 18 de abril, os 601 shoppings do país apresentaram queda de 36,3% nas vendas em relação ao mesmo período de 2020. No ano passado, o setor chegou a apresentar recuo de 39,4% nas vendas.

Os dados são da Abrasce em parceria com a Cielo e compõem o “Índice Cielo do Varejo Ampliado”, que identifica as vendas do chamado “varejo total” nas lojas de shopping center.

Glauco Humai, presidente da Abrasce, assinala que as vendas nos shoppings estão diretamente relacionadas aos horários de funcionamento: quanto menor o período em operação, menores as vendas, e vice-e-versa.

“À medida que o shopping vai completando o seu mix de serviços, ampliando horários e dias da semana, as vendas vão voltando. Em alguns estados em que o funcionamento já está perto do tempo normal, os dados são bastante animadores”, defende.

A avaliação do executivo é de que o cenário deve permanecer de grande incerteza até o terceiro trimestre, em função do calendário de vacinação, e que os últimos três meses do ano devem ser positivos para o setor, impulsionados pelas vendas na Black Friday, no dia das crianças e sobretudo no Natal.

Leia também:
Fundos imobiliários: após perda de fôlego no 1º tri, logística e fundos de fundos lideram nova leva de ofertas

Humai cita que o Rio de Janeiro ampliou o horário de funcionamento dos shoppings nesta quinta-feira (22), que no Paraná os estabelecimentos voltaram a abrir aos fins de semana e que neste sábado (24), em São Paulo, restaurantes e serviços voltam a funcionar dentro dos shoppings, contribuindo para uma retomada do segmento.

Na semana de 12 a 18 de abril, os shopping centers no Brasil registraram queda nas vendas de 47,2%, o que representou uma desaceleração das perdas em relação à semana anterior (5 a 11 de abril), quando as vendas caíram 55,4%.

Até o dia 18 de abril, quando o levantamento foi concluído, o Brasil operava com 94% dos seus shoppings abertos, mas com restrições, frente aos 61% da semana anterior.

Nesta sexta-feira (23), do total de 601 shopping centers no país, 599 estão operando com algum tipo de restrição e dois ainda estão fechados, em municípios de Minas Gerais, segundo a Abrasce.

Em 2020, os shoppings encerraram o ano com uma taxa de vacância de 9,3%, afirma Humai, quase o dobro da registrada no ano anterior, de 4,7%. Em 2021 até abril, o setor registrava vacância de 7,5%.

Diante de estabelecimentos fechados, os fundos imobiliários de shopping centers registraram em março o pior dividend yield médio em relação aos demais segmentos, com um retorno sobre os dividendos de 5,3%, segundo levantamento feito pela XP. A performance desses FIIs também ficou entre as piores, com ganhos de 6,7% entre março de 2020 e março deste ano, ante valorização de 33,4% dos FIIs de recebíveis imobiliários no mesmo período.

Como declarar investimentos no IR?
Baixe de graça um ebook que explica como declarar seus investimentos (e quais são isentos) no Imposto de Renda:

Concordo que os dados pessoais fornecidos acima serão utilizados para envio de conteúdo informativo, analítico e publicitário sobre produtos, serviços e assuntos gerais, nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados.
check_circle_outline Sua inscrição foi feita com sucesso.
error_outline Erro inesperado, tente novamente em instantes.

The post Em meio a novos fechamentos, shoppings têm queda de 36,3% nas vendas no ano appeared first on InfoMoney.